Teste de Trinca

- Teste na MagnaFlux

Após passar por essa análise visual, o virabrequim vai para a máquina chamada MagnaFlux para verificar se há trincas. Esse processo consiste em magnetizar o eixo e espalhar sobre ele um líquido contendo partículas ou pó de ferro. As partículas se depositam sobre as trincas tornando-as visíveis sob ação de luz negra. A profundidade da trinca pode ser avaliada pela quantidade de partículas depositadas sobre ela, influindo na intensidade do campo.

Em caso positivo, a peça será condenada, o contrário ela sai direto para a análise de metrologia, ou seja, conferir as medidas na bancada.

Com um micrômetro mede-se o desgaste dos colos para saber quanto deverá ser usinado. As medidas são: standard 0,25mm ou 0,50mm; 075mm e o máximo de l,00 mm. Em motores pesados são utilizadas as duas primeiras medidas.

Depois, mede-se com um cálibre o raio de concordância para saber se estão dentro das especificações do fabricante. Esse procedimento exige muita atenção. Uma medida errada compromete a peça. Para fazer o raio especificado no rebolo, ou pedra (de arenito), utiliza-se um dispositivo próprio com ponta diamantada. Nunca desprezar esse procedimento, pois ele é vital para o sucesso da retífica.

O alinhamento é executado tendo como referência os colos dos mancais centrais.

Apoiando-se o eixo entre pontos e fazendo-o girar, pode-se determinar o alinhamento por meio de um relógio que, colocado na bancada da máquina, verifica colo por colo.

Para maior precisão inicia-se a inspeção pelos colos centrais e depois, vai para as extremidades. Caso o mesmo apresente empenamento, proceder a operação de alinhamento com ferramentas especiais e banco com prisma.

Atenção: checar também o alojamento da bucha, o rolamento do eixo piloto, o rasgo de chaveta e a rosca de fixação da polia.

- Máquina de retífica, com deslocamento

Após passar pela MagnaFlux e alinhamento, colocar o virabrequim na máquina de retífica, definindo o rebolo adequado para aquele tipo de virabrequim, e anexar o relógio comparador para centralizar o eixo, controlando a oscilação e garantindo uma perfeita usinagem.

Iniciar a retífica do colo e ficar atento para que a pedra não encoste nas laterais do virabrequim, a fim de que seja mantida a folga axial. Durante o processo deve-se ir medindo o raio de concordância até chegar na medida especificada.
 
Evitar contato manual ou batidas com as partes retificadas, para evitar oxidação ou danos.